domingo, 27 de novembro de 2016

O QUE É DEUS?

                                          



                                               Introdução


A questão que sempre exerceu um enorme fascínio sobre mim é a respeito da existência de Deus. Eu, como todo mundo, conheci ao logo da vida os três pontos de vista que tentam responder a essa pergunta, sem, no entanto, conseguirem fazer com que a resposta seja satisfatória. As respostas dadas parecem sempre ser apenas uma parte do todo e nunca convence o bastante para que deixemos de nos questionar. A religião mantém esse “Deus” no âmbito divino, o que nos deixa a terrível sensação de que ele não passa mesmo é de um folclore, a ciência o nega com veemência, mas também não esclarece qual seria a natureza do universo e do Homem na ausência irrestrita de uma inteligência superior, a filosofia, seguindo os passos da ciência, nos trás incontáveis suposições daqueles que formam sua base irrepreensível, sem, mais uma vez como a ciência, ir além daquela etapa onde começa a racionalidade humana, deixando a todos nós num vácuo infinito quando tentamos descobrir o que há antes do nosso “EU”.
Com todas essas constatações, e é claro, também juntando muitas matérias com as quais me identifiquei e encontrei melhor solução, quis pensar em um Deus que pudesse ser todas as coisas, todas as teorias, todas as matérias, mas para mim, este era um pensamento demasiado complexo, visto que minha capacidade intelectual não alcança mais que a de uma curiosa no assunto. Esta teoria pode até não ser original, pra dizer a verdade, nem sei se não estou apenas repetindo algo já lido em algum lugar e que poça ter ficado tão gravado na minha mente que acabou se tornando intrínseco nas minhas concepções a ponto de eu roubar a ideia. Se alguém tiver algo a declarar nesse sentido que fale agora ou se cale para sempre, pois estou convicta de que a ideia me pertence posto o tamanho da minha leiguice no domínio do assunto. Quero deixar claro que não sou filosofo, sou formada apenas na ciência da observação.
Há alguns dias comecei a participar de um grupo sobre filosofia em uma rede social (facebook). Como há muito tempo eu já maquinava esse conceito e até ensaie alguns escritos, que pretendia transformar em livro, resolvi colocar a questão para debate entre os colegas, eu queria saber a opinião de pessoas mais capacitadas para daí concluir se minha ideia era, ao menos, válida, ou se não passava de um amontoado de retalhos de pensamento sem congruência. O resultado do debate me deixou confiante para trazer aquele conceito a um estágio mais relevante, além dos meus rascunhos e pensamentos noturnos. Como o papo foi realmente proveitoso aproveitei o diálogo no grupo, e um diálogo, em especial, com um dos participantes que quis continuar comigo in box. O fato é que relendo o debate, vi que minhas ideias estavam expostas de forma mais clara, conversando com outros, do que normalmente me parecem quando estou divagando sozinha, por isso resolvi colocá-lo no Blog em forma de texto para a leitura de quem se interessar pelo assunto. Segue o debate.


LEIA O TEXTO: FILOSOFIA