domingo, 22 de janeiro de 2017

A PORTA CONTINUA ABERTA





Se quiser ir embora, Pode ir.
Não há mais palavra que te impeça
E nem silêncio que te comova.
Das lágrimas que eu poderia derramar
Farei um antídoto,
E aqui, nem um bocado de ausência
Há de se alastras como saudade.
Saia meu amor,
A porta continua aberta como sempre esteve
E no pouco de mim que queria lhe prender
Guardei uma pequena sensatez.
Nunca desejei ter você, além de onde fosse o teu desejo
E em tudo meu amor transformei em coisa etérea,
Por tanto, nunca lhe estive como coisa á parte
Se estou sempre contigo, é com meus sentimentos.
Nos vão dos teus lábios macios,
sou a textura do beijo,
Nos olhos, que procuram beleza
A satisfação de encontrar,
nas mãos com que tocas carícias
o conforto do tato,
E em seu corpo
que se embrenha em delicias
o afã de gozar.
Nem penses em ficar do meu lado
Por conforto ou costume
Se tudo do que sou pra você
Não te fez me amar.