terça-feira, 14 de março de 2017

O GRANDE CÂNCER DA HUMANIDADE É ACREDITAR QUE ELA ESTÁ COM CÂNCER





O grande câncer da humanidade é o pessimismo contra si mesmo e a continuidade de sua existência, esse mal foi plantado pela religião e alimentado pela interpretação erronia da ciência, além da frivolidade de alguns filósofos, formadores do pensamento vigente.
     Todos estão olhando o copo sempre meio vazio e pouco se dá atenção ao que muda para melhor, ao que evolui para o bem, ao que progride para a correção. Toda essa profecia sobre a autodestruição do Homem e do Planeta, toda essa previsão de que não duraremos mais que alguns séculos, tudo isso, a meu ver, nasceu pelas chamadas escrituras sagradas, “O APOCALIPSE”, e o folclore foi ganhando corpo na medida em que a ciência começou a nos trazer notícias ruins, junte isso a alguns céticos amargurados das letras e: Voulá! Você tem um espécime que vive á espera do seu fim “eminente”.
     Nesse contexto, não é de se estranhar que tenhamos psicopatas, radicais, fanáticos e todo tipo de aversores humanos, e os que não o são, no mínimo nutrem certo desprezo pela vida, quem se importa com um planeta e uma raça que, mais cedo ou mais tarde, vai acabar com seus próprios recursos naturais, ou sobre quem cairá um meteoro gigante, varrendo tudo á sua volta, ou, mais criativo ainda, será queimado pela força divina no juízo final? Quem se importa em preservar a água, se no fundo, acredita que não vai haver próximas gerações a precisar dela? “Vamos cuidar do espírito, porque a vida já está perdida!”, “Vamos ser do “bem”, para angariar a simpatia dos céus, não para tornar a convivência com o semelhante algo realmente prazeroso!”     

     Despreza-se tudo o que já se considera perdido, e esse desprezo gera a negligência, e a negligência gera uma sociedade problemática, e os problemas geram a visão pessimista, que volta para alimentar esse ciclo vicioso. O grande câncer da humanidade é acreditar que ela está com câncer.