domingo, 18 de junho de 2017

ENTREVISTA EXCLUSIVA COM A AUTORA MAYARA ALBUQUERQUE



Leitores do Phalavraria, hoje trazemos uma entrevista especial com a autora da obra "O Desconhecido", Mayara Albuquerque. Esta jovem autora nos trás um panorama bem amplo dos novos autores brasileiros, ela nos mostra, tanto através de sua obra, como das suas ideias, que no Brasil há uma nova geração de escritores talentosos e conscientes do seu trabalho, das dificuldades e das responsabilidades com a qualidade do que eles produzem, o que derruba aquela velha opinião de que autores nacionais e principiantes são acomodados, desleixados e que esperam um sucesso que caia do céu. Esta entrevista com a Mayara, de apenas 19 anos, que acaba de lançar seu primeiro título, não deixa qualquer dúvida de que este preconceito não tem nenhuma razão de ser. Essa nova geração de escritores é sim, talentosa, profissional e batalhadora, eles estão ai, esforçando-se diariamente para alcançarem seus espaços e nos trazendo uma literatura que vale á pena. Acompanhem...

ADQUIRA O E-BOOK DA OBRA DESTA AUTORA  ATRAVÉS DO LINK Á BAIXO: 
https://www.amazon.com.br/gp/aw/d/B01LVUW9ZC/ref=mp_s_a_1_2?ie=UTF8&qid=1495760568&sr=8-2π=AC_SX118_SY170_QL70&keywords=O+Desconhecido




EU: Mayara, em que momento da sua vida você decidiu se tornar escritora?


MAYARA: Aos 14 anos, minhas provas de redação na escola pediam para a gente completar um conto baseado em seu parágrafo inicial. No começo, eu entrei em pânico, achei que eu nunca conseguiria fazer aquilo, mesmo que minhas notas em redação fossem as melhores. Mas conforme fui tentando, comecei a gostar. Foi quando eu li o conto Gato Preto, de Edgar Allan Poe e fiquei fascinada. A partir dali decidi que ia tentar escrever meus próprios contos. No ano seguinte, tive uma ideia para uma história e pensei se conseguiria contar ela em forma de romance e não de conto. Não sabia se conseguiria, mas tentei sem pretenção alguma. Eu consegui, completei meu primeiro romance, que é hoje "O Desconhecido" e foi ali que eu decidi que não seria mais um hobby pra mim. Eu queria viver daquilo e tive a sensação de que era a única coisa da qual eu seria feliz vivendo. E desde então não parei mais


EU: E porque terror? É um gênero no qual você pretende dar continuidade em sua carreira ou foi algo eventual, podendo vir a escrever outros temas?


MAYARA: Pretendo continuar sim, é o gênero com o qual eu mais me identifico. Também me identifico com o gênero policial, adoro histórias de detetive e solução de mistérios, por isso incluí esse elemento nos próximos romances, que ainda estão em produção, e o misturei com o sobrenatural, que é o tema que mais estudo. Mas eu também já estou produzindo uma saga breve de Dark Fantasy, a qual estou me dedicando bastante, que também fala sobre o sobrenatural e pretendo lançá-la daqui a alguns anos.


EU: Muito legal! Como foi pra você Mayara esse processo de busca pela publicação? Quais as maiores dificuldades que você encontrou para entrar no mercado editorial?


MAYARA: Bom, procurei me informar e mandei o original para muitas editoras, para aquelas que se enquadravam nessa linha editorial, porém encontrei aquelas dificuldades mais recorrentes aos autores iniciantes, como a falta de dinheiro para publicar por editoras pagas, que aceitaram o original, e a recusa de editoras tradicionais. Algumas nem mesmo me responderam. Mas vi na publicação independente da Amazon uma oportunidade de ser lida. O que mais me importa, no momento, é que as pessoas leiam minhas histórias e que elas as toquem de alguma forma. O dinheiro é apenas uma consequência. Ainda assim, meu maior sonho é publicar O Desconhecido em formato físico. Quero pegar ele na mão e tê-lo na minha estante


EU: Agora fale um pouco sobre seus projetos futuros, O que o leitor pode esperar da escritora Mayara Albuquerque?


MAYARA: Bom, como disse, pretendo lançar mais dois romances na mesma pegada de O Desconhecido, porém com histórias completamente diferentes, das quais ainda não posso falar muito rsrsrs, e quando minha Dark Fantasy ficar pronta eu começo a publicar ela.


EU: Como é o seu processo criativo? Você tem alguma mania, algum rito, ou qualquer coisa que te ajuda a escrever?


MAYARA: Na verdade, não tenho muitas manias, apenas a de anotar qualquer ideia que me venha à mente e que tenha algum potencial rsrs Mas boa parte da minha inspiração vem de outras histórias e principalmente de músicas. Elas me ajudam a entrar no universo daquela trama. Mas procuro amadurecer a ideia ao máximo na minha cabeça antes de escrever, para ver se consigo levar ela adiante.Eu procuro pensar bem sobre os personagens para tornar eles o mais cativantes possíveis e tento aprofundar suas motivações. E principalmente tento fazer a história imprevisível.


EU: Você aconselha a auto publicação para escritores iniciantes? Isso tem correspondido ás suas expectativas?


MAYARA: Aconselho sim. Acredito que é um passo muito útil para se formar um público e apresentar seu trabalho. É claro que, mesmo se dedicando à divulgação, ninguém é reconhecido da noite para o dia por uma multidão de leitores, mas aos poucos, com dedicação e perseverança, a pessoa pode ir fazendo seu caminho no meio literário. E pode, quem sabe, ser notada por uma editora


EU: Além de escrever você tem algum outro ofício como profissão?


MAYARA: Ainda não transformei em profissão, infelizmente rsrs Mas eu vou me graduar em Jogos Digitais, então já escrevi alguns roteiros para jogos de videogame e pretendo trabalhar também com isso, em breve. E, como também sou muito fã de cinema, se aparecesse uma oportunidade para escrever um roteiro eu com certeza aceitaria rsrs


EU: Com certeza pode aparecer sim!
E pra gente terminar. Que conselho você daria para escritores iniciantes que estão entrando no mercado editorial, ou que ainda não deram esse primeiro passo?


MAYARA: Bom, primeiramente, tenha certeza de que a versão que você manda para as editoras seja a versão que você quer que as pessoas leiam, certifique-se de que a história está como você quer. Depois de terminar uma história, não se deixe levar pela euforia, deixe ela amadurecer por um tempo antes de revisar. Assim você corre menos risco de se arrepender de incluir ou de ter deixado de fora alguma coisa depois que o livro for publicado. Além disso, tente criar um público antes de publicar seu livro, crie uma página ou um canal no YouTube, qualquer veículo é válido. E lembre-se de que, principalmente se você for um autor independente, a divulgação não é algo que você faz apenas uma vez, ou alguns dias depois de lançar o livro, mas sim algo constante, você deve continuar divulgando seu trabalho sempre. Mas é claro que sem ser inconveniente com as pessoas. Não as incomode o tempo todo para que leiam seu livro. Se não você vai apenas afastar leitores em potencial rsr E sempre pesquise muito sobre o assunto sobre o qual você vai escrever, para não passar vergonha.A pesquisa é algo de extrema importância na escrita. Mesmo se você estiver escrevendo fantasia.Tenha certeza da coerência da sua história e tenha claro em sua mente o público alvo que quer atingir.


EU: São ótimos e sábios conselhos Mayara, até parecem conselhos de uma escritora consagrada. Parabéns por essa sua consciência e objetividade. Não há sombra de dúvidas de que você vai muito longe. Espero que o Phalavraria possa acompanhar você ao longo da sua escalada.


MAYARA: Muito obrigada Também espero

REVEJA NESTE LINK TUDO SOBRE A OBRA DA AUTORA, INCLUINDO O VÍDEO QUE FIZEMOS SOBRE ELA NO NOSSO CANAL:  http://www.phalavraria.com/2017/06/o-desconhecido-may-phantomhive.html