domingo, 15 de outubro de 2017

RESENHA do livro "TESÃO"


O livro TESÃO é uma coletânea de contos e poemas eróticos que foi lançado no ultimo dia 05 pela editora Perse, em uma publicação independente e se encontra á venda no site da editora através do link abaixo:

http://www.perse.com.br/novoprojetoperse/WF2_BookDetails.aspx?filesFolder=N1507196341543


Título TESÃO
Autora: Valentina Wholf
Editora: Perse
N° de pág: 100
Gênero: Literatura erótica

Sobre a autoria:


Valentina Wholf é uma personagem criada pela autora Adriana Campos Marinho para protagonizar os seus contos eróticos, que acabou ganhando vida própria e se tornando um pseudônimo da autora com o qual ela assina esta obra. 


Eu seria suspeita a dar qualquer opinião sobre minha própria obra, por isso, ao invés de falar sobre ela, escolhi postar aqui no Blog o seu prefácio ou a "INTRODUÇÃO" onde há maiores detalhes sobre o que se seguirá no texto, sobre os conceitos gerais abordados e a intenção final do livro. Espero que apreciem e, se se sentirem tentados a leitura integral, adquiram um exemplar impresso ou e-book, depois, digam-me vocês mesmos o que acharam dele.


PRELIMINARES 

 Houve um tempo em que falar sobre sexo era tabu, porque como quase todos os prazeres humanos a religião o taxava como pecado, especialmente para as mulheres. Sexo para elas devia ser sinônimo de reprodução, enquanto para os homens seria uma merecida recompensa pelo seu papel fundamental na sociedade. Mulheres que gostassem de sexo pelo prazer que ele proporciona eram vistas como levianas, indignas de respeito, impróprias para o casamento e muitas terminavam seus dias jogadas em algum cabaré com uma letra escarlate tatuada eternamente em seus corpos profanos. Mas os tempos mudaram, as mulheres se rebelaram, conquistaram seu espaço, seus direitos, sua liberdade e hoje podemos não apenas falar, mas brincar, fantasiar, amar o prazer, nos deleitar com ele e até escrever, inventar ou retratar fantasias indo além na imaginação e viver toda a intensidade que o prazer sexual nos dá de presente, sem medo, sem vergonha, sem inibição, podemos fazê-lo apenas pelo tesão, ou como vulgarmente gostam de dizer os moralistinhas remanescentes: “dar só pra ver o pau entrar”, sim, só para isso, e pelo que sentimos enquanto ele entra. Mas onde fica o amor romântico nisso tudo? É o que você deve estar se perguntado. Bem, ele fica exatamente onde fica o prazer! O amor romântico é um misto de sentimentos, de carinho, de amizade, de admiração, de companheirismo, de lealdade, mas tudo está diretamente condicionado a capacidade do casal de proporcionar o prazer um no outro, pois sem isso o amor romântico se torna amor fraterno e a relação deixa de ser amorosa no sentido emocional da coisa. Os contos neste livro não abordam o amor romântico, pois o objeto de suas narrativas se restringe a tesão em si, como o título já diz, e tem como objetivo demonstrar algumas das infinitas possibilidades de se alcançar o orgasmo, segundo as peculiaridades do ser humano. Em síntese, pode-se dizer que este panorama demonstra ser o prazer sexual algo completamente psicológico e não apenas físico como se concebe a ideia á grosso modo. Já ouvi relatos, por exemplo, de mulheres que só conseguem gozar quando se masturbam, enquanto que, com um parceiro, apesar de sentirem prazer durante o sexo, jamais chegam ao orgasmo, então fiz a todas elas a mesma pergunta: O que acontece de diferente durante a transa com um parceiro e durante a masturbação solitária? E a resposta não poderia ser mais emblemática: Durante a masturbação elas imaginam as coisas que são capazes de excitá-las e isso lhes proporciona o orgasmo. Já com um parceiro, não há tempo, nem concentração o suficiente para se criar estas fantasias na cabeça e se imaginar-se vivendo-as naquele momento, dai a dificuldades em se alcançar o ápice. O que quero transmitir com isso é que, enquanto as fantasias e parafilias e fetiches continuarem sendo vistos como algo anormal, ou como coisa de gente maluca, de gente sexualmente transtornada, vamos continuar tendo uma multidão de pessoas sexualmente insatisfeitas, e uma multidão de famílias sendo desfeitas, de pessoas traídas e abandonadas, uma multidão de pessoas preconceituosas por causa de seus próprios ressentimentos. Pessoas sexualmente frustradas são amargas, infelizes, ranzinzas e moralistas, são elas as primeiras a atirarem pedras na felicidade alheia, as primeiras a propagarem o ódio e a intolerância, e é por este motivo que tratar a sexualidade com mais atenção dando a ela a relevância necessária, pode, com toda certeza, colaborar para uma convivência mais harmoniosa da nossa sociedade. Sobre o amor romântico, neste livro o leitor encontrará alguns poemas nos quais não delimito o espaço entre o amor e o tesão, faço dos dois uma coisa só, inexorável. No entanto, não quero aqui afirmar que o amor romântico seja algo impossível sem o prazer sexual, mas aí meus amigos, encontrar este amor tão sublime, tão divino, tão poderoso, já é coisa de quem nasceu com a bunda virada para lua e isso paira na dimensão dos maiores sonhos do ser humano. Quem alcançar este amor incondicional deve saber que encontrou uma pena das asas dos anjos em sua vida, e eu só teria um conselho a deixar: “DÊ VALOR!”